Tratamentos contra impotência masculina

Problemas de ereção: quais são os tratamentos?

Quando consultar o médico?

IMPORTANTE: antes de consultar seu médico é importante saber a diferença entre uma falha sexual ocasional e um problema persistente de ereção. De fato, todos os homens já sofreram falhas sexuais ocasionais transitórias e pontuais quando estão estressados ou cansados. Quando avançamos em idade, o tempo para o início de uma ereção satisfatória pode ser aumentado, e essas mudanças são normais a partir dos 50 anos.

É necessário então consultar:

  • Se os transtornos duram mais de 3 meses.
  • Se problemas encontrados causam um sofrimento, seja físico ou psicológico.

Pode ser intimidante abordar esta questão com seu médico, também é aconselhável consultar um médico com quem você poderá falar facilmente e principalmente, não entre em pânico! Os médicos têm o hábito de abordar este tema e conhecem a dificuldade dos homens em falar sobre seus problemas. Médicos são treinados, pois problemas de ereção são motivos muito frequentes em consultas.  O médico consultado muitas vezes não se sente apto a tratar a disfunção erétil, neste caso ele irá enviar o paciente a um colega e continuará informado sobre o seguimento de seu tratamento terapêutico.

Consultar sozinho?

A primeira consulta pode ser feita sozinho, mas é aconselhável em seguida que a parceira seja incluída, pois sua implicação e seu suporte são elementos muito importantes para um resultado positivo durável.

O que prescreve o médico?

É um tratamento por via oral, que é geralmente oferecido como primeira opção, encontramos:

Estas quatro moléculas agem no relaxamento dos músculos lisos dos corpos cavernosos e assim, aumentam o fluxo sanguíneo arterial na origem da ereção.  Esses medicamentos são facilitadores da ereção e são eficazes somente se estão associados a um estímulo sexual (carícias preliminares,…). Eles são entregues somente mediante prescrição médica (cuidado com medicamentos falsos na internet para esta categoria!) e não são reembolsados por fundos de seguros de saúde.

ATENÇÃO: estes medicamentos apresentam contraindicações importantes e interações com outros medicamentos (como os derivados de nitratos por exemplo) que podem ser graves. Eles são igualmente contraindicados com o consumo de suco de toranja e de outros medicamentos utilizados de maneira pontual. Sempre falar com o médico ou com o farmacêutico.

Sua utilização pode ser feita em curto prazo (algumas semanas) em razão de uma preocupação transitória até o retorno de uma confiança em si e especialmente para os homens que continuam por muito tempo sós e sem relacionamentos, que necessitam ter confiança para o encontro de uma nova parceira (processo medicamentoso para um problema psicológico).

A utilização também pode ser de longa duração para os homens que possuem uma patologia vascular constatada (diabetes, hipertensão, fumantes crônicos…) mas igualmente em função do critério de idade do paciente.

Terapia hormonal pode ser proposta caso uma avaliação biológica tenha mostrado um declínio na testosterona associada de sinais clínicos como fadiga e um aumento significativo na gordura abdominal. A testosterona pode ajudar a encontrar um desejo sexual e aumentar a força muscular. Este tratamento é somente temporário e deve ser monitorado por doses de testosterona no sangue.

Os tratamentos sem prescrição contra problemas de ereção

O tratamento local pode ser proposto e especialmente as injeções nos corpos cavernosos do pênis, com substâncias que permitem ter muito rapidamente uma ereção de boa qualidade, mesmo na falta de um estímulo sexual. Eles são entregues apenas sob prescrição médica e são reembolsados quando os problemas de ereção são relacionados a um problema físico, grave e bem definido (seguido de um câncer na próstata e uma prostatectomia, uma paraplegia ou tetraplegia, esclerose múltipla por exemplo…).

O médico pode igualmente prescrever estas injeções em caso de contraindicações ou falha do tratamento por via oral.

Este tratamento muitas vezes assusta pelo seu modo de administração, mas a aplicação não é dolorosa e o médico acompanha seu paciente quanto tempo for necessário para mostrá-lo e explicá-lo como fazer. Esta injeção é facilitada pelo uso de uma caneta injetora: após a reconstituição do produto, basta remover a tampa protetora da agulha e colocá-la sobre a pele para que a injeção se faça automaticamente.

Finalmente, como último recurso, a colocação de uma prótese peniana por cirurgia paliativa, pode ser proposta para pacientes cujos tratamentos médicos são ineficazes ou mal adaptados à sua situação médica.

É importante que o paciente seja ator da sua decisão, particularmente na escolha do implante e bem informado sobre os riscos da operação. As indicações mais frequentes para a colocação de uma prótese peniana são distúrbios cardiovasculares e diabetes para pacientes cujas terapias medicamentosas são ineficazes. Não há limite de idade para a colocação de uma prótese, mas é claro que esta opção de tratamento deve ser coordenada entre o paciente, seu/sua parceiro/a e uma equipe médica experiente.