4 tratamentos essenciais contra disfunção erétil!

As duas últimas décadas foram marcadas pelo aparecimento de tratamentos contra problemas de ereção no mercado. Hoje em dia, a impotência masculina não é mais um tema tabu e os homens têm atualmente numerosos tratamentos à sua disposição para combater eficazmente este problema.

No mercado, vários tratamentos são oferecidos aos homens, o que faz com que eles muitas vezes tenham dificuldades em escolher a opção mais adaptada para eles. No início do tratamento contra problemas de ereção, os homens têm várias opções, pois as ofertas são diversificadas.

Os tratamentos estão disponíveis em diversas formas. No entanto, é a pílula que domina a maioria dos homens. Os 3 tratamentos citados anteriormente pertencem à mesma categoria, ou seja, possuem os mesmos princípios ativos (Sildenafila, Tadalafila, Vardenafila) funcionando da mesma maneira.  A questão em saber qual dos 3 é melhor, não existe resposta sem equívoco. Utilizando um tratamento, alguns homens podem preferir um ou outro. De qualquer forma, estes medicamentos servem para aumentar o fluxo de sangue para o pênis, para uma boa ereção seguida de um estímulo sexual.

No entanto, estes tratamentos possuem certas particularidades que fazem com que sejam mais adaptados a certos tipos de homens e outros não.

Modo de ação destes três tratamentos

O Cialis, o Viagra e o Levitra são todos os três inibidores da fosfodiesterase tipo 5. Eles relaxam os músculos do pênis através de sua ação na enzima PDE-5. Assim, o sangue flui corretamente para os tecidos cavernosos, para favorecer uma boa ereção. Para os homens que sofrem de disfunção erétil, estes 3 tratamentos são uma maneira de resolver, mesmo que momentaneamente este problema.

Características destes tratamentos diversos

O Cialis, o Viagra e o Levitra são tratamentos sujeitos a prescrição médica. No entanto, cada um comporta particularidades em relação ao seu funcionamento.

A famosa pílula contra disfunção erétil, o Viagra, foi desenvolvido e distribuído pelos laboratórios Pfizer até 2013.  Portanto, sua fórmula genérica foi retomada por várias empresas que o comercializam sob o mesmo princípio ativo, o Sildenafila. Viagra começa a agir em 30 minutos após a ingestão e faz um homem sexualmente ativo durante as próximas 4 horas.

O Cialis

Cialis está disponível em 10 e 20 mg, mas também em ingestões diárias de 5 e 2, 5mg. A primeira vantagem reside nesta larga escolha que é oferecida aos homens. Além deste aspecto, o Cialis é operacional após 30 minutos de ingestão e, durante as próximas 36 horas. É consumível com ou sem refeições. Para aqueles que optam por uma dose diária, eles serão sexualmente ativos 24/24h. Basta apenas um estímulo sexual a fim de desencadear uma ereção satisfatória.

O Levitra

Ativo de 30 minutos a 1 hora, o Levitra tem quase o mesmo tipo de funcionamento que o viagra. Seu efeito pode durar até 5 horas enquanto que a duração do viagra é de cerca de 4 horas. Se alguns homens preferem o Levitra, é em razão da sua versão orodispersível, que pode ser consumida sem água. Discreto, o comprimido orodispersível de Levitra se dissolve na boca, sem necessidade de água.

Outra característica do Levitra, é o fato de que é preferível ingeri-lo sem comer, pois uma boa refeição pode influenciar na eficácia do tratamento. Entre os efeitos colaterais do Levitra, mantemos a indigestão, as dores de cabeça, corrimento nasal, vermelhidão e vertigens.

Se fala muito pouco nas mídias, ele ainda não é muito conhecido e chegou no mercado somente em 2014, o Spedra é hoje uma perfeita alternativa aos outros tratamentos. Sua grande força reside no seu período de ação, quando é necessário esperar cerca de meia hora antes de obter os primeiros efeitos do Viagra, Levitra ou Cialis, com Spedra é necessário esperar somente 15 minutos. Se você não é muito organizado ou se você está com pressa, o Spedra é provavelmente a melhor opção.

Estes tratamentos não são afrodisíacos, você necessitará estar sexualmente estimulado para obter uma ereção

Efeitos colaterais

Estes efeitos colaterais relacionados ao tratamento são pouco frequentes, mas não devem ser negligenciados. Estes efeitos colaterais incluem:

  • Dores de cabeça
  • Distúrbios digestivos
  • Vermelhidão (Levitra, Viagra)
  • Tonturas (Levitra, Viagra)
  • Ondas de calor (Cialis)
  • Náuseas (Levitra, Viagra)
  • Distúrbios visuais (Viagra)

Resultados

Os quatro medicamentos dão bons resultados em geral. No entanto, é necessário às vezes ter paciência para constatar sua eficácia, esses medicamentos não funcionam sempre na primeira tentativa.

Se um medicamento não funciona, ou provoca efeitos colaterais, converse com seu médico. Ele poderá recomendá-lo a tentar um outro ou modificar a dose prescrita. Informe o seu médico de toda superdosagem, da ingestão eventual de outros medicamentos e de toda informação referente ao seu estado de saúde.

Os tratamentos alternativos contra a impotência

As injeções penianas

Em casos em que as enzimas IPDE-5 são ineficazes ou em caso de contraindicação do seu uso, o médico poderá prescrever substâncias vasoativas, por exemplo, o alprostadil (Caverject®), em que o paciente se autoadministra. Este tratamento, entregue sob prescrição, consiste em injetar um medicamento na base ou no lado do pênis antes de uma relação sexual. Esses medicamentos, como os IPDE-5, permitem o relaxamento dos músculos das artérias do pênis, que aumentam o fluxo de sangue, com a diferença que um estímulo sexual não é necessário. A ereção é alcançada de 5 a 20 minutos e dura cerca de 1 hora. Ainda que pouco popular em razão de seu modo de administração, este tratamento é eficaz em 85% dos homens.

Os cremes para aplicação local

Uma alternativa à administração de medicamentos por via oral ou por injeção, o Vitaros, será em breve lançado na França. Apresentados na forma de um creme para ser aplicado no pênis, ele age da mesma forma que os medicamentos anteriores, mas sua ação é mais rápida e comporta menos riscos de interações medicamentosas.

Os implantes penianos

Quando os tratamentos anteriores não funcionam ou não são adequados, por exemplo, se os nervos foram danificados como resultado de uma intervenção cirúrgica ou uma lesão, pode ser considerada a utilização de certos dispositivos mecânicos tais como implantes penianos que necessitam de uma intervenção cirúrgica a fim de implantar de maneira permanente no pênis hastes flexíveis infláveis permitindo a ereção do pênis graças a um sistema ligado à uma bomba acionável pela mão.

Testosterona

Se a disfunção erétil é causada por hipogonadismo, um tratamento hormonal de testosterona pode ser considerado.

Em relação à medicina alternativa (homeopatia, fitoterapia, acupuntura…), não houve comprovação para o tratamento da disfunção erétil.