Viagra Sildenafila, o mais famoso tratamento contra problemas de ereção

O Viagra Sildenafila é o primeiro tratamento fabricado para ajudar homens adultos a combater disfunções na ereção.  Fazendo sua aparição em 1998, graças à engenhosidade dos Laboratórios Pfizer, o Viagra foi aclamado por milhões de homens em todo o mundo, em razão da sua eficácia que permite aos homens relações sexuais satisfatórias.

O que é o Viagra?

O Viagra é o tratamento mais conhecido do mundo para tratar problemas de ereção. É uma pílula de cor azul, que age em média 30 minutos após a sua ingestão. Uma vez consumida, o seu efeito persiste por cerca de 5 horas.

Quanto tempo dura efeito do Viagra?

Quanto tempo dura efeito do Viagra?

O Viagra pertence à categoria dos inibidores da fosfodiesterase tipo 5. Ele está sujeito a prescrição médica e inclui algumas precauções de uso. Desde a sua introdução no mercado, o Viagra tem feito a felicidade de milhões de homens em todo o mundo.

Qual o princípio ativo do Viagra?

O Viagra é fabricado à base de Sildenafila, um inibidor da PDE5. A enzima PDE5 é aquela que retarda o processo de ereção. O Sildenafila bloqueia sua ação, e permite que os músculos no tecido cavernoso se relaxem para favorecer um bom fluxo de sangue para o pênis.

viagra-sildenafil

Uma vez no organismo, o Sildenafila age em 30 minutos e dura em até 5 horas. O Viagra é então indicado para homens adultos que não alcançam a ereção ou aqueles que não chegam a manter uma ereção capaz de proporcionar relações sexuais satisfatórias.

Viagra é fabricado à base de excipientes tais como:

  • Álcool polivinílico
  • Estearato de magnésio
  • Hidrogenofosfato de cálcio
  • Croscarmelose de sódio
  • Vermelho allura AC
  • Óxido de titânio
  • Celulose microcristalina
  • Óxido de ferro
  • Talco
  • Macrogol 4000
  • Indigotina
  • Opadry II Azul

Os problemas de ereção são um flagelo que atinge milhões de homens no mundo.

As diferentes doses de Viagra Sildenafila

O Viagra Sildenafila está disponível em 25mg, 50mg e 100mg. A dose de 25mg é a mais baixa, e é destinada àqueles que experimentam o Viagra pela primeira vez. Também é recomendado para homens com idade superior a 65 anos. Com esta dose baixa, os efeitos colaterais são limitados nos pacientes.

A dose de 50mg é prescrita para homens que não encontram nenhuma satisfação com a dose de 25mg. Estes últimos consultam o médico, que analisa seu estado de saúde para verificar se seu organismo tolera uma dose mais alta.

A dose de 100mg é a mais alta. É importante que o paciente tenha excelentes condições psicológicas antes de utilizá-lo.

Das três doses disponíveis, somente o médico está capacitado para prescrever aquela que mais se adapta. Para um possível aumento ou redução da dose, é igualmente o médico que decide de acordo com seu estado de saúde, seu peso, seus antecedentes ou tratamentos que faz uso ao tomar Viagra. Observe também que a dose de 100mg é máxima e é prescrita aos homens de boa saúde, e que já tentaram as doses mais baixas sem ter experimentado nenhum efeito adverso. Quanto mais se aumenta a dose, maior é a probabilidade de aparição de efeitos colaterais.

Tendo em conta os estudos realizados sobre as diversas doses do Viagra, apurou-se que a eficácia da pílula azul depende da dose. Quanto mais elevada for a dose, maior é a satisfação. 82% dos homens que consomem a dose de 100mg relataram ter plena satisfação contra 63% daqueles que tomaram a dose de 25mg.

A pílula azul é consumida com um copo de água. Ele leva de 30 minutos a uma hora para agir no organismo. Portanto, basta somente um estímulo sexual para ver o processo erétil desencadear. Este é o caso para todos os tratamentos contra a impotência. O álcool e os alimentos gordurosos afetam negativamente a eficácia do tratamento. Seria prudente evitá-los com a ingestão de Viagra.

A duração de ação do Viagra

Viagra Sildenafila age em média uma meia hora após a ingestão da pílula. Sua ação dura 4 horas, o que significa que durante este tempo, você tem a oportunidade de ter boas ereções para desfrutar plenamente de seu ato sexual. A ereção não dura 4 horas.

O funcionamento do Viagra Sildenafila

O Sildenafila, princípio ativo do Viagra, pertence à família dos inibidores da PDE-5. Ele age na enzima da PDE-5 e favorece o relaxamento dos vasos sanguíneos dos corpos cavernosos para que o sangue flua de maneira suficiente para o pênis.

Durante as quatro horas de ação, é necessário que o homem tenha um estímulo sexual antes de ter as ereções.

A questão da eficácia do Viagra

O Viagra Sildenafila é um tratamento sujeito a prescrição médica. Antes de seu lançamento no mercado, ele foi objeto de numerosos estudos, e um dos mais importantes foi um realizado com mais de 8000 pacientes com idade entre 19 e 87 anos. Este estudo foi feito para comparar o efeito do placebo e do Viagra nos homens. 62% dos homens que utilizaram a dose de 25mg constataram uma nítida melhora em sua função erétil. Esta porcentagem é de 74% para aqueles que ingeriram a dose de 50mg e 82% para aqueles que utilizaram a de 100mg. Mas em relação ao placebo, apenas 25% dos homens tiveram alguma satisfação.

O efeitos colaterais de Viagra

Para todo tratamento sujeito a prescrição médica, existem riscos de efeitos colaterais. O Viagra possui alguns, cuja gravidade depende de cada homem. Para alguns, os efeitos são raros ou desaparecem ao longo do tempo, portanto, o corpo humano torna-se familiarizado com o Sildenafila.

Como primeiro tratamento contra problemas de ereção, o Viagra foi objeto de muitos estudos rigorosos antes de seu lançamento no mercado em 1998 nos Estados Unidos, depois na Europa. Entre os efeitos colaterais identificados, encontramos as cefaleias, os problemas digestivos, as náuseas, aumento do ritmo cardíaco, vermelhidão na face, e algumas dores nas costas e nas pernas.

Priapismo é igualmente um risco que pode ser observado em alguns homens que consomem o Viagra, por este motivo o aconselhamento médico é essencial. A duração de ação do Viagra é de cerca de 4 horas, o que não significa que a ereção está prevista para durar todo este período, por outro lado, isso ocorre em caso de priapismo. Se durante o tratamento você constata este problema, você deve consultar um médico que tomará as medidas adequadas, antes que sua situação se agrave.

As contraindicações associadas ao uso de Viagra

A ingestão de Viagra é proibida para homens alérgicos ao Sildenafila ou algum de seus excipientes. E é igualmente proibido para aqueles que tomam nitratos. Para aqueles que possuem diabetes ou sofrem de hipertensão, o conselho médico é essencial antes do início do tratamento.

Durante o tratamento, é proibido acompanhá-lo de toranja, pois ela tem uma tendência a acentuar os efeitos do tratamento, através da sua ação na enzima do citocromo P450 3-4, o que pode levar à uma overdose.

18A quem se destina o Viagra?

O Viagra é um tratamento destinado para homens com pelo menos 18 anos e com dificuldades de ereção. Não é uma pílula de distração que pode ser empregada em pessoas com plena capacidade erétil. Antes de utilizar o Viagra, é importante que seu estado de saúde seja favorável ao princípio ativo e aos excipientes deste tratamento, razão pela qual a prescrição médica é obrigatória.

Pode-se erradicar as causas de impotência erétil com o Viagra?

A pílula azul não tem o propósito de tratar outras causas de disfunção erétil. No entanto, ela pode ajudar a detectá-las. Os homens com dificuldades de ereção devem efetuar exames regulares de saúde, especialmente no que diz respeito aos índices de pressão arterial, de glicemia, de lipídios, de taxas de prolactina e de testosterona.

Podemos nos tornar dependentes de Viagra?

De acordo com estudos clínicos, foi atestado que não há nenhum risco de dependência em relação aos tratamentos contra disfunção erétil. O que se deve entender, é o fato de que eles agem somente no problema, sem erradicar as causas. É normal sentir os sintomas novamente no final do tratamento.

Além disso, se você fizer uso do Viagra somente para adquirir autoconfiança, existe uma possibilidade que você sinta dificuldade em abandoná-lo no futuro. Neste caso, o que se deve fazer é conversar com sua parceira, para eliminar progressivamente a pressão do desempenho sexual, a fim de espaçar a ingestão de Viagra. Ao longo do tempo, você poderá abandoná-lo completamente.

Como comprar Viagra Online & em Brasil?

prescriptionVários métodos de compra do Viagra estão disponíveis, para que o consumidor possa obter a pílula azul sem problema. No entanto, a etapa primordial continua a ser a consulta ao médico.

Comprar Viagra na farmácia em Brasil

Caso você note os sintomas da impotência de uma forma significativa, a primeira coisa a fazer é ir ao médico. Ele fará análises a fim de julgar se o seu organismo é capaz ou não de suportar os componentes da pílula azul. Esta análise leva em conta seu histórico médico, os males que normalmente sofre, seus hábitos alimentares e outros parâmetros importantes. É somente após esta etapa que ele será capaz de emitir uma prescrição com a dose prescrita e recomendações de uso. É com esta prescrição que você irá à farmácia comprar sua pílula. É altamente desaconselhável a compra do Viagra sem fazer uma consulta prévia com o médico.

Comprar Viagra Online em Brasil

Por razões de discrição ou agenda, alguns homens preferem comprá-la on-line. A compra on-line do Viagra é fornecida por algumas clínicas que não eliminam a necessidade de uma consulta médica. Esta consulta é sob forma de um questionário que o paciente deve responder para permitir que um médico faça a prescrição, se o resultado for positivo, uma prescrição eletrônica. Após isso, você poderá fazer o pedido on-line e receber o medicamento dentro de 24 horas em toda a Europa. Este prazo pode ser de 48 horas para algumas clínicas on-line.

pfizerOs Laboratórios Pfizer, fabricante do Viagra

O laboratório foi criado em 1849 por Charles Pfizer nos Estados Unidos. Eles são especializados na pesquisa, fabricação e comercialização de produtos farmacêuticos. Famoso em razão do Viagra, os Laboratórios Pfizer também fabricam outros medicamentos destinados ao grande público e oferecem seus produtos em mais de 150 países, e possuem em média 80.000 funcionários.

A origem do Viagra

Viagra foi fabricado a partir dos efeitos colaterais do tratamento para combater a angina de peito. O Sildenafila foi utilizado pelos laboratórios Pfizer para desenvolver o tratamento contra angina, mas os resultados obtidos não estavam à altura do que se esperava. Pelo contrário, os homens perceberam que eles tinham ereções. Após alguns estudos, o Viagra nasceu como o primeiro tratamento disponível contra problemas de ereção. Para milhões de homens, foi uma oportunidade incrível de lutar contra seus problemas de disfunção erétil e prosperar em suas relações em geral, e sexuais em particular. A patente do Viagra foi obtida pelos Laboratórios Pfizer em 1996. O tratamento foi posto no mercado americano em 1998, antes de chegar na Europa.

Como conservar o Viagra?

Como todos os medicamentos, o Viagra deve ser mantido fora do alcance e da vista das crianças. Ele é mantido em um ambiente seco e em temperatura não superior a 30 °. Além disso, é necessário que se consuma antes da data de vencimento indicada na embalagem.

Qual é o preço de Viagra Online & em Brasil?

O preço do Viagra difere dependendo se a compra é feita na farmácia ou on-line.

  • Viagra preço: Comprar Viagra em uma farmácia em Brasil

Na farmácia, o preço de uma caixa de 4 pílulas varia entre 40 e 65€, além disso, é necessário adicionar o valor da consulta médica. On-line, o valor da pílula é mais elevado, pois de um lado já está inclusa a consulta on-line e os custos de entrega, e de outro, a discrição, assim como o tempo de entrega são vantajosos.

No que diz respeito à compra on-line de Viagra, aconselhamos a verificar canais confiáveis de estabelecimentos sérios, que tenham obtido uma acreditação de venda. Várias plataformas tentam atrair os consumidores através de slogans como «  « Viagra barato » ou ainda« Viagra sem prescrição médica». Desconfie de falsificações, elas podem colocar sua saúde em perigo.

Também tenha em mente que a compra de tratamentos para problemas de ereção, incluindo o Viagra, não são reembolsados pela previdência social, seja com compra em farmácia ou através de uma clínica on-line.

Por razões de segurança, é importante evitar sites que oferecem Viagra com cupons de desconto. O Viagra original foi produzido pelos Laboratórios Pfizer e levou em consideração os custos de produção e de qualidade. Portanto, um Viagra a preço baixo seria sem dúvida uma cópia. Além disso, aqueles que oferecem amostras gratuitas da pílula azul são ilegais. Por favor, faça o procedimento de compra normal.

Caso você estime que o Viagra original tem um custo alto para você, existem genéricos disponíveis para venda por outros laboratórios farmacêuticos, tendo as mesmas garantias de eficácia e de segurança. Os genéricos possuem o nome do princípio ativo, o Sildenafila.

A relação entre o Viagra e o Sildenafila

O Sildenafila é o princípio ativo usado na concepção do Viagra. Mas desde que a licença se tornou de domínio público, a molécula do Sildenafila está disponível em versão genérica com doses de 25mg, 50mg e 100mg, da mesma forma que o Viagra. As condições de utilização e os efeitos colaterais do Sildenafila são os mesmos que os do Viagra. Somente o preço da molécula que é mais acessível que o do Viagra.

Mas antes de consumir o Sildenafila, você precisa de uma prescrição médica. Estando munido desta prescrição, você poderá escolher o Viagra original da Pfizer ou a versão genérica, o Sildenafila.

Os pré-requisitos relacionados ao uso do Viagra

O Sildenafila não é um tratamento milagroso

O Viagra é um tratamento cuja eficácia é pontual, ou seja, momentânea. Se você sofre de impotência, você deve utilizá-la a cada relação sexual, sem exceder a dose única por dia. Sua duração de ação é de ao menos 4 horas, e você terá a oportunidade durante este período de ter relações sexuais. O que o ajudará a tratar a impotência, é o tratamento para as causas subjacentes e a adoção de um estilo de vida saudável. O álcool, as drogas são também substâncias nocivas que promovem a impotência.

Não há nada de errado ou dramático em fazer uso do Viagra

Por um longo tempo, problemas de ereção eram um tema tabu que a maioria dos homens tinha dificuldade em expressar. Mas isso foi antes. Hoje, é apropriado falar com seu médico a fim de beneficiar de um dos muitos tratamentos disponíveis no mercado. Os problemas de ereção afetam milhões de homens na França e na Europa. Tenha certeza de que você não está sozinho.

O médico, o qual você expõe seus problemas, tem o compromisso com o segredo profissional, você não terá portanto, nada com que se preocupar. E se é na farmácia que você tem medo de cruzar com olhares indesejáveis, nada o impede de ir à uma farmácia onde você não corre o risco de cruzar com um rosto familiar.

A discussão com o sua parceira: uma necessidade

Uma das maneiras de superar a impotência é discutir com sua parceira, principalmente se seu problema está relacionado principalmente ao stress e à perda da performance sexual. Isto ajudará a aliviá-lo. Não há nenhuma vergonha em fazer uso do Viagra.

O Viagra não é o único tratamento do seu gênero

O Viagra é o primeiro tratamento focado nos problemas de ereção, mas agora existem outros como o Cialis, o Levitra, o Spedra ou Vitaros. A escolha de um dependerá de conselho médico.

Informações adicionais sobre o Viagra

Viagra e álcool

O Viagra e as bebidas alcoólicas não se misturam. Ambos sendo vasodilatadores (ou seja, que dilatam os vasos sanguíneos, facilitam então a circulação sanguínea e podem reduzir a pressão), os riscos da combinação de álcool e Viagra são numerosos e perigosos. Se o consumo bem moderado, da ordem de um ou dois copos durante uma refeição continua possível, consumir grandes quantidades de álcool durante o tratamento com Viagra expõe a riscos reais e com consequências desastrosas.

Consumo de álcool e Viagra: os efeitos negativos nas funções sexuais

O Viagra e álcool compartilham uma série de efeitos colaterais comuns, tais como dores de cabeça, tonturas e distúrbios digestivos. O consumo concomitante de Viagra e de álcool expõe a possibilidade de que os efeitos colaterais do Viagra seja reforçada. Além disso, o álcool pode retardar a ação do Viagra ou diminuir os efeitos.

Além disso, é comumente sabido que o álcool desinibe e favorece as relações sexuais, o consumo excessivo é ao contrário, fortemente prejudicial para a sexualidade. O consumo de álcool em grandes quantidades é particularmente prejudicial para a ereção. Um homem que sofre de disfunção erétil também deveria se abster de todo consumo de álcool, ou ao menos deveria consumir com moderação.

Álcool, Viagra e problemas cardíacos: atenção perigo

Para as pessoas frágeis no sentido cardíaco, o consumo de álcool com Viagra pode ser perigoso. De fato, o efeito estimulante de bebidas alcoólicas, juntamente com o aumento da pressão arterial causada pelo sildenafila pode causar danos ao organismo masculino. Os principais riscos são acidentes cardíacos assim como acidente vascular cerebral. É portanto altamente recomendável às pessoas com patologias cardíacas, mesmo leves, e que recebem tratamento contra disfunção erétil com Viagra permanecer sóbrio, e não consumir álcool durante o tratamento.

O Viagra para os jovens

Seja para fins recreativos, em busca de uma performance sexual ou para preencher uma falta de autoconfiança, a utilização do Viagra fora de sua área de aplicação, que é a da disfunção erétil, comporta riscos significativos. Os usuários « recreativos » de medicamentos facilitadores de ereção são numerosos. Segundo um estudo finlandês, eles são ainda mais numerosos em homens que utilizam estes tratamentos para tratar a disfunção erétil. Na população estudada, homens com idade média de 29 anos, 2,6% dos homens já haviam utilizado um medicamento para ereção para uso recreativo, enquanto apenas 0,9% já usaram no contexto médico. No entanto, os jovens são os que possuem mais tendência a desviar o Viagra de seu destino principal.

Falta de autoconfiança, busca de desempenho

A democratização de filmes pornográficos, a busca de desempenho, a necessidade de fazer como os outros, como falta de autoconfiança são razões que impulsionam os jovens a usarem Viagra. Segundo um estudo americano publicado no Jornal de Medicina Sexual, realizado com 1207 homens jovens americanos com idade de 22 anos em média, cerca de 8% deles tomariam os medicamentos contra a disfunção erétil. Entre eles, apenas 2% deles teriam uma prescrição médica. Os 6% restantes fariam por iniciativa própria.

Os especialistas se preocupam sobre o risco de dependência psicológica. De acordo com os psicólogos Christopher Harte e Cindy Meston, da Universidade do Texas, que conduziram a enquete, isso seria devido ao fato de que esses jovens têm uma confiança « estranhamente baixa » na sua ereção. Esses usuários que compram Viagra e outros indutores de ereção têm, portanto, antes de tudo um problema de confiança e não um problema psicológico. Esses usuários «recreativos» têm, sem recorrer ao Viagra, uma qualidade de ereção «normal», assim como seu desejo sexual, sua satisfação ligada à penetração e seus orgasmos.

De acordo com Harte e Meston, esses jovens usuários podem desenvolver expectativas irreais em relação à sua ereção: «levando-os a experimentar como uma ereção “ideal” uma ereção que é visivelmente mais durável e mais prolongada graças ao medicamento. Fazer uso de um destes medicamentos « pode gerar ideias e expectativas irracionais de desempenho erétil, que, por sua vez, pode levar à uma distorção da percepção das ereções sem medicamentos como de qualidade inferior, dado o novo padrão que eles construíram ».

Uma visão causadora de problemas de ereção

O estudo de Harte e Meston destaca a predominância do modelo ligado à «performance» do ato sexual na mente de alguns homens jovens. Eles fazem uso do Viagra para aumentar seu desempenho sexual que, nesta idade determina sua confiança e seus egos. A origem destes comportamentos que alimenta um risco preocupante, a questão da performance sexual e o advento da penetração como ato sexual obrigatório. Em outras palavras: o medo de não ter uma boa performance pode afetar a ereção e assim provocar problemas, bem reais desta vez. Um risco maior, de acordo com os autores do estudo, é que os usuários recreativos dos facilitadores da ereção talvez já estão entre aqueles que têm um perfil ansioso e estão predispostos a tornarem-se «dependentes» da pílula.

O Uso recreativo do Viagra diminui a ereção natural

O problema é que a utilização destes medicamentos facilitadores de ereção ainda que não existam para homens jovens ou adolescentes com disfunção erétil faz diminuir a confiança em sua própria capacidade de obter e manter sua ereção sem medicamento. De fato, a ereção natural não vem sob demanda, não dura o tempo que se deseja e não permanece máxima ao longo de uma relação sexual. Ele está sujeito não só à mudanças ou distúrbios fisiológicos do organismo (fadiga, doença), mas é igualmente dependente do estado psicológico (stress psicológico etc). Se esses homens jovens que tomam medicamentos têm a ereção facilitada, ela vem mais rapidamente, ela é mais durável e dura um maior tempo.

E este uso recreativo terá como consequência a modificação dos « padrões » de ereção na mente daqueles que o utilizam. Ao utilizar Viagra, suas ereções naturais não parecerão mais ser tão fáceis, duráveis e nem durarão tanto tempo sem medicamentos. Eles terão portanto, a tendência a julgar como sendo anormais e irão entrar em um círculo vicioso. Quanto mais frequente for o uso do medicamento para ereção, menor será a confiança em sua própria ereção natural. No entanto, sabemos que, para um homem, a falta de confiança na capacidade erétil é um fator muito importante de problema de ereção.

Viagra e drogas

Alguns homens jovens utilizam igualmente o Viagra como uma droga ou um estimulante físico e por razões não apropriadas. Muitos adolescentes confundem o Viagra com drogas de prazer ou os estimulantes físicos como ecstasy, e mesmo às vezes os consomem em conjunto. De fato, os jovens pensam que podem atingir um nível de excitação e de performance sexual fora do comum com esta combinação. No entanto, o ecstasy é conhecido por enfraquecer a qualidade das ereções e os adolescentes pensam poder corrigir esta falha com Viagra. Mas a combinação do ecstasy com tratamento de impotência sexual é particularmente nociva.

Da mesma forma, « poppers » juntamente com o Viagra apresentam um perigo real de morte. De fato, se o Viagra está associado ao poppers (nitritos) a hipertensão ocasionada se torna intolerável para o organismo e cria um acidente vascular frequentemente mortal.

Todas as drogas, sejam elas quais forem, não são nem boas nem úteis para saúde e para a ereção. E associá-las ao Viagra proporciona riscos importantes para aqueles que as utilizam. É então primordial para os jovens em bom estado de saúde, que desejam continuar a ter ereções de qualidade deixar o uso destas substâncias.

Os efeitos do Viagra na saúde dos jovens

Os jovens que utilizam Viagra ou outros medicamentos do mesmo tipo, mesmo que eles não tenham nenhum problema de ereção, correm o risco de ver suas ereções naturais perderem em qualidade, mas também se expõem a riscos e perigos importantes, assim como os efeitos colaterais destes medicamentos. É também altamente desaconselhável comprar estes medicamentos on-line, que relembramos, devem ser comprados somente na farmácia, com prescrição médica. Estes medicamentos vendidos on-line são mais frequentemente medicamentos falsificados que expõem ainda mais aos riscos mencionados.

Ingestão diária do Viagra

O Viagra é eficaz contra problemas de ereção causados por insuficiência circulatória do sangue no nível do pênis ou por bloqueios psicológicos. Deste modo, é necessário compreender que o medicamento não é um afrodisíaco que permite fazer nascer o desejo. Um estímulo sexual é então necessário para fazer esse trabalho. Pode-se tomar temporariamente ou continuamente, dependendo da origem da disfunção erétil.

Podemos tomar Viagra todos os dias?

A dose recomendada é de 50 mg, a tomar conforme necessário, cerca de uma hora antes de qualquer atividade sexual. Dependendo da eficácia e da tolerância do paciente ao produto, esta dose pode ser aumentada para 100mg ou reduzida para 25mg. A dose máxima recomendada é 100 mg/dose. O Viagra leva entre 25 minutos e 1 hora para agir, e sua duração de eficácia é de 4 a 5 horas.

Pode-se utilizar o Viagra diariamente desde que não se exceda a dose diária autorizada pelo médico prescritor e respeitando um intervalo de 24 horas entre cada ingestão.

Pode-se fazer o uso do Viagra por toda a vida?

Um homem que sofre de disfunção erétil pode tomar uma dose diária de Viagra e a longo prazo, sem que tenha efeitos colaterais ou que novos apareçam. Se a causa da disfunção erétil for psicológica, o paciente será aconselhado a interromper o tratamento assim que seus problemas forem resolvidos. Por outro lado, o uso pode durar uma vida inteira se a disfunção erétil for de origem orgânica, após uma operação para o câncer da próstata, por exemplo, ou se o bloqueio psicológico persistir. Evidentemente se deve evitar a automedicação e se deve consultar um médico antes de qualquer início com Viagra.

Viagra e hipertensão

A hipertensão arterial (HTA) é definida por uma pressão arterial sistólica, acima de 14 ou com pressão arterial diastólica acima de 9. De acordo com os últimos dados epidemiológicos estabelecidos pelo Comitê Nacional de Luta Contra a Hipertensão Arterial, se estima que 10 milhões de pessoas são hipertensas e que 7 milhões estão sob tratamento.

Entre este relevante grupo, os homens podem ter problemas de ereção em razão de sua hipertensão e/ou em razão do tratamento que estes seguem.. Um importante estudo epidemiológico americano (Massachusets Male Aging Study) realizado em 1994, mostra que os problemas de ereção afetam 9,6% de 1290 homens interrogados entre 40 e 70 anos. Entre os pacientes hipertensos tratados, esse percentual atingiu 15%, seja 1 paciente tratado em 7.

Por que a hipertensão favorece a ocorrência de problemas de ereção?

Os homens cuja pressão arterial não é controlada, são propensos a perder sua função erétil pelo menos duas vezes mais rapidamente do que os homens com pressão arterial normal.

A hipertensão arterial leva à uma alteração nas artérias. Em razão do aumento da pressão sanguínea, sua estrutura se modifica. Além disso, a hipertensão arterial favorece a aterosclerose, ou seja, o espessamento e endurecimento das paredes arteriais. A passagem de sangue no tecido arterial não pode mais ser feita corretamente e a qualidade da ereção diminui.

Além disso, certos tratamentos para hipertensão podem igualmente ter um impacto na função erétil do paciente. Os estudos sobre os anti-hipertensivos mostram uma dificuldade maior em obter e em manter uma ereção nos hipertensos que fazem tratamento do que nos pacientes não tratados. Infelizmente, esse efeito colateral tem muitas vezes como consequência o abandono pelo paciente do tratamento, o que terá consequências no seu destino cardiovascular.

E poucos pacientes ousam falar sobre isto com seus médicos. Segundo o doutor Nicolas Danchin, especialista em hipertensão arterial durante uma conferência sobre as relações entre HTA e problemas de ereção: « « Se ultrapassarmos a barreira psicológica em expressar o problema, é possível, mais ou menos facilmente, encontrar soluções para os problemas de disfunção erétil. Em alguns casos, uma simples modificação do tratamento pode resolver as dificuldades; em outros, pelo contrário, será necessário tranquilizar o paciente e eventualmente, prescrever um tratamento para seus problemas de ereção que, na maioria das vezes não traz problemas de interação com o tratamento contra hipertensão.»

Os pacientes hipertensos podem utilizar Viagra

Os medicamentos contra hipertensão, se não são tomados corretamente, uma vez associados aos medicamentos contra disfunção erétil, podem levar à uma perigosa queda de pressão arterial. Mas no caso de um acompanhamento rigoroso e de uma dose adaptada, os pacientes hipertensos podem, sendo tratados ou não contra hipertensão, utilizar o Viagra. Além disso, um estudo mostra que 68% das pessoas com hipertensão arterial e com problemas de ereção, usuários de Viagra, observaram uma melhora em seus problemas de ereção.

Com isso, um estudo recente sugere que o citrato de sildenafila, princípio ativo do Viagra, protegeria o coração contra danos causados pela hipertensão arterial. O estudo foi conduzido pela Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins (Baltimore, Estados Unidos) e os resultados foram publicados em 5 de Janeiro pela revista médica Jornal de Investigações Clínicas.

Neste estudo, os pesquisadores mostraram que, em ratos, o sildenafila estava atuando em uma proteína chamada RSG2 (regulador da proteína G sinalizadora-2). Esta proteína RSG2 tem como função principal proteger o músculo cardíaco contra os efeitos prejudiciais da hipertensão arterial.

A hipertensão é então compatível com a compra de Viagra, com a condição de procurar conselho médico antes de qualquer medicação.

O Viagra e o suco de toranja

O suco de toranja é conhecido por seus numerosos benefícios. Ele contém uma grande quantidade de vitamina C e outras vitaminas, ácidos orgânicos. No entanto, o suco de toranja é uma verdadeira catástrofe para os laboratórios farmacêuticos.

A toranja é uma realidade. A tal ponto que os americanos testam praticamente todos os novos medicamentos com suco de toranja para verificar se eles podem ser compatíveis! Na verdade, ela é pouco compatível com um grande número de medicamentos. Em combinação com determinadas substâncias, o suco de toranja pode mesmo ser mortalmente perigoso.

Se após um longo período apenas considerávamos que o suco de toranja pudesse ter um impacto significativo sobre o efeito dos medicamentos, atualmente aparecem cada vez mais evidências que o consumo deste suco com medicamentos podem ter graves consequências para a saúde. A revista científica Canadian Medical Association Journal, publicou dados mostrando que o número de medicamentos que apresentam perigo se são ingeridos com suco de toranja, passou de 17 medicamentos para 43 entre 2008 e 2012. É particularmente perigoso combinar toranja com imunossupressores, antibióticos, medicamentos anticâncer, anti-hipertensivos, e medicamentos para o tratamento da disfunção erétil.

Porque o suco de toranja é incompatível com certos medicamentos?

O suco de toranja afeta a farmacocinética dos medicamentos por inibir certas enzimas na parede intestinal, o que impede a absorção de medicamentos no corpo. O bloqueio destas enzimas conduzem a um aumento da concentração dos princípios ativos dos medicamentos no sangue. Como resultado surgem os efeitos colaterais tóxicos dos medicamentos tomados.

Pode-se beber suco de toranja durante a ingestão de Viagra?

Não se deve tomar Viagra, nem outros medicamentos contra a disfunção erétil cujo princípio ativo é o citrato de sildenafila, com suco de toranja, ou após ter consumido toranja. De fato, o suco de toranja aumenta consideravelmente a concentração de citrato de sildenafila no sangue, que pode ter graves consequências. O suco de toranja aumenta a pressão arterial enquanto que os tratamentos de disfunção erétil diminuem. A combinação dos dois poderia anular o efeito do medicamento. Mas a combinação de suco de toranja com Viagra pode desacelerar o metabolismo, provocando um aumento na pressão arterial, taquicardia e até mesmo a morte. Portanto, é necessário abster-se de consumir enquanto estiver utilizando Viagra.

Nossos comentários sobre Viagra

Viagra é o primeiro e mais famoso tratamento contra disfunção erétil. Ele foi posto à venda no mercado americano em 1998. A partir de então, vários milhões de homens o utilizam. Alguns homens se perguntam se o tratamento é realmente eficaz, se é superior a outros medicamentos disponíveis no mercado ou se comporta efeitos colaterais graves.

Fizemos nossa pequena pesquisa com consumidores e concluímos o seguinte:

  • Viagra é um tratamento famoso e conhecido no mundo todo. Como tal, é difícil duvidar de sua eficácia e sua segurança
  • O Viagra é eficaz e permite aos homens de fato ter ereções satisfatórias.
  • Viagra é sujeito a prescrição médica, mas a maioria dos homens o utilizam por conta própria sem cumprir esta exigência

Viagra, um tratamento eficaz

Viagra teve que demonstrar sua eficácia para muitos homens. Para os novos usuários, a curiosidade e incerteza são grandes, mas a maioria dos usuários asseguraram ter obtido satisfação. No entanto, o Viagra é um medicamento e não uma pílula recreativa. Por favor, não o utilize se você sofre de algum mal. Não é indicado para aumentar sua performance sexual. Viagra recebeu a aprovação de altas autoridades de saúde.

Teoricamente, a duração de ação é de 30 minutos e dura até 4 horas. Na prática, estes valores são verificados, mas para alguns a duração não chega a 4 horas. O consumo de uma refeição copiosa seria a causa.

O Viagra, a referência em matéria de tratamento contra a disfunção erétil

Em geral, a grande maioria dos homens aprecia Viagra. Atualmente, seu principal concorrente é o Cialis cuja duração de ação é muito superior ao do Viagra. Não obstante, o Viagra permanece sendo referência. Seus efeitos colaterais diferem de acordo com cada indivíduo, mas são raros em sua maioria.

Comentários sobre Viagra Sildenafil

Comentários sobre Viagra Sildenafil
9.7

EFICÁCIA

9.8 /10

EFEITOS COLATERAIS

9.8 /10

FÁCIL DE USAR

9.5 /10

PREÇO

9.5 /10

Pros

  • Ativa em 30 minutos
  • O efeito dura até 5 horas
  • Disponível em doses de 25 mg, 50 mg e 100 mg
  • Tratamento mais popular contra a disfunção erétil

Cons

  • Dores sentidas nas pernas, costas
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Vermelhidão facial