O modo de vida influencia nos problemas de ereção

A ereção é o resultado de todo um processo físico e psicológico. Durante um estímulo sexual, o organismo humano produz hormônios que enviam sinais para o cérebro. Graças a esses sinais, se constata um fluxo de sangue para os tecidos cavernosos, seguido de um relaxamento dos músculos. Os vasos sanguíneos tornam-se então estreitos, a fim de manter a ereção até o final do ato sexual, antes de afrouxar para que os músculos relaxem.

Em uma determinada fase da vida, é possível que o homem encontre dificuldades em ter ou manter uma ereção durante um ato sexual. Portanto, quando um homem sente esta incapacidade, falamos de problemas de ereção. Na maioria dos casos, este problema é facilmente resolvido ao longo do tempo, caso as causas sejam apenas superficiais. Mas em outros casos, eles apenas representam uma parte dos sintomas de uma outra doença ainda mais grave. Neste último caso, a consulta médica é absolutamente uma iniciativa a ser feita.

As disfunções de ereção são consideradas de diversas maneiras, em razão de suas causas que continuam vagas para a maioria. O que preocupa em primeiro lugar, é a outra doença que pode ser a causa, porque na verdade, estas constituem os primeiros sintomas de doenças tais como hipertensão arterial ou diabetes. A consulta do médico, é então indispensável para ter uma ideia clara desta situação. Quando a disfunção erétil está associada com outras doenças, muitas vezes é indicado se submeter a alguns tratamentos médicos assim como outras terapias para que o problema desapareça ao longo do tempo, ou com o intuito de reduzir os sintomas. Além disso, o apoio do seu parceiro pode acelerar o processo de cura. Mas o que pode realmente adiantar, é a adoção de um modo de vida saudável, em certos casos pode ser o suficiente para se livrar destes problemas.

As últimas duas décadas foram marcadas pelo surgimento de tratamentos famosos contra a impotência tais como Viagra ou Cialis. Estes tratamentos tiveram que provar a sua eficácia para milhões de homens através de seu funcionamento valioso como inibidores da fosfodiesterase tipo 5. Eles aumentam a pressão sanguínea e dilatam os músculos do pênis, a fim de promover um bom fluxo de sangue ao pênis, que é sinônimo de uma boa ereção.

Estes tratamentos são certamente eficazes, mas a adoção de um estilo de vida exemplar pode facilitar uma recuperação sustentável, de acordo com estudos científicos. Mesmo em caso de tratamentos médicos, você pode adotar alguns bons hábitos, para complementar e promover a sua eficácia no tratamento de distúrbios de ereção e melhorar a sua saúde geral. Para observar o desaparecimento dos sintomas da disfunção erétil, oferecemos seis recomendações para pôr em prática diariamente:

A redução de seu consumo de álcool

O álcool é conhecido por seu papel no relaxamento do organismo. Ele permite ao homem ter uma certa confiança em si. Mas por outro lado, ele interrompe sua capacidade erétil, de acordo com alguns estudos científicos. Em 2007, foi estabelecido que em 100 homens com um consumo alto de álcool, 72 deles sofrem de disfunções sexuais, incluindo as disfunções de ereção. Entre as causas subjacentes desta situação, os médicos observaram o aumento da pressão arterial, a influência do álcool no sistema nervoso e a influência sobre a produção de testosterona.

Quando a pressão arterial é aumentada, esta cria uma aterosclerose, que promove a má circulação do sangue para o pênis, e por consequência uma má ereção. Agindo no sistema nervoso, o álcool reduz a sensibilidade dos receptores de sinais do prazer, que são enviados durante um estímulo sexual, o que impede um retorno consequente de fluxo de sangue para o pênis. No que diz respeito à produção de testosterona, esta redução impacta o bom funcionamento da sexualidade do homem, segundo um estudo realizado em 2002. Reduzindo a ingestão de álcool, aumentam suas chances de evitar problemas de ereção. A Organização Mundial de Saúde recomenda um limite diário de 3 copos. E se seu consumo excede este limite, é prudente esperar pelo menos 48 horas antes de tomar novamente.

Parar de fumar

O tabaco prejudica seriamente a saúde. É um dos principais fatores de câncer dos pulmões. Além deste incômodo, o tabaco afeta as funções vasculares e a circulação sanguínea.

Quando os homens fumam cigarro, eles consomem também algumas substâncias químicas, como arsênico, alcatrão e monóxido de carbono, todos muito prejudiciais para o organismo. Estas substâncias têm a tendência de inibir a função do óxido nítrico, um componente importante para o relaxamento dos vasos musculares. De acordo com um estudo de 2004 pela Revista Britânica de Urologia, verificou-se que a probabilidade que um homem que fuma excessivamente tenha problemas de ereção é grande.  Além disso, a maioria dos homens que sofre de impotência viram sua condição melhorar após a interrupção do cigarro.

Banir o stress da sua vida

O stress e a ansiedade são as principais causas de problemas de ereção para os jovens. Quando um homem tem dificuldades no trabalho ou em sua vida pessoal, o stress pode levar à disfunção erétil, hipertensão arterial ou outras doenças. Se você está sujeito a importantes episódios de stress, ao ponto de ter problemas de ereção, é importante que o médico seja informado. Você também deve rever sua situação na empresa ou com o seu interlocutor, caso seja um assunto pessoal, a fim de encontrar uma solução. O stress, além de conduzir a problemas de ereção pode ser a origem de outros problemas para sua saúde.

A adoção de um estilo alimentar saudável

O desequilíbrio alimentar está entre as causas de problemas de ereção. Quando o homem consome muita gordura saturada, ele tem a tendência a sofrer uma congestão arterial, o que impacta na circulação sanguínea. De acordo com vários estudos, homens com uma dieta saudável são mais propensos a evitar transtornos de ereção. Ao contrário daqueles que optam por uma alimentação rica em carnes, homens que seguem uma dieta mediterrânea composta de frutas, legumes, grãos integrais e peixes têm um organismo saudável e, portanto, suas funções sexuais adequadas. Para evitar a impotência, é importante rever seus hábitos alimentares.

A prática de esportes

Os exercícios físicos trazem muitos benefícios ao organismo. Sua ausência na vida do indivíduo pode levar a problemas de circulação sanguínea ou mesmo de hipertensão arterial. De acordo com um estudo publicado na Revista Etíope de Ciência em 2011, o exercício cardiovascular contribui para a melhora das funções de ereção do homem. Deste modo, foi estabelecido que atividades físicas em geral e especialmente os exercícios aeróbicos, influenciam positivamente na condição dos homens que sofrem de problemas de ereção.

Não se trata de passar todo seu tempo na academia, mas de totalizar em média 2 horas e meia de atividades esportivas por semana. Pois além de ajudar a reduzir os sintomas da impotência, as atividades físicas contribuem para o bom estado de saúde em geral.

Banir as drogas recreativas

Vários medicamentos podem ter como efeitos colaterais problemas de ereção. Quando você consulta o médico, ele indicará os riscos de efeitos colaterais envolvidos. Durante o tratamento, é seu dever relatar seus sintomas. O uso de drogas é desaconselhável, pois eles podem ter consequências pesadas na saúde do indivíduo. De acordo com um estudo de 2009 pela Revista de Medicina Sexual, constatou-se que o consumo de heroína, metanfetamina e de MDMA, em 40% casos, levam a sintomas da disfunção erétil.

Se o homem nota problemas de ereção, então é importante que ele relate ao médico ou a outros serviços nos quais a discrição é regra.

A maioria dos homens sofre em um momento ou outro de problemas de ereção. O número de consumidores de pílulas para disfunção erétil é estimado em cerca de 23 milhões pelo mundo. Em alguns casos, estes problemas são somente passageiros e desaparecem assim que se adote um estilo de vida saudável. Em outros casos, os sintomas se agravam, pois talvez ocorram devido a outras doenças, o que implica a consulta obrigatória do médico. Não hesite em ir ao profissional de saúde para saber mais sobre sua situação.

A luta contra problemas de ereção: existe uma solução definitiva?

As dificuldades de ereção persistem se nada é feito. Mesmo os homens que utilizam as pílulas constatam que seus efeitos são limitados no tempo. Viagra tem 4 horas de duração, o Cialis 36 horas e outros muito menos. Obviamente, estes tratamentos têm um modo de funcionamento pontual. A melhor maneira de acabar com os problemas de ereção é mudar seu modo de vida e adotar bons hábitos.